Nem a inflação, nem a menor oferta de crédito têm diminuído o apetite de consumo do brasileiro, principalmente da nova classe média. A avaliação é do presidente do Walmart Brasil, Marcos Samaha. Tanto que o grupo anunciou ontem investimentos de R$ 1,2 bilhão para inaugurar 80 lojas, chegando a 561 até o final do ano. A expectativa é gerar 7 mil empregos formais diretos e outros 20 mil indiretos.
Apesar de vultoso, o investimento é inferior aos R$ 1,6 bilhão divulgados em 2010, com o intuito de abrir 90 novas lojas, projeto que não teve sucesso. Samaha não disse quanto deixou de ser investido, mas o que se sabe é que apenas metade das lojas previstas realmente começou a funcionar no ano passado.
A interrupção dos investimentos ocorreu, segundo o executivo, em função de “fatores alheios”, como compra de terrenos não efetivados e atraso em construções, entre outros fatores. Agora, garante, o plano vai até o final, pois está “mais pé no chão”.
A ênfase do Walmart nessa empreitada será a nova classe média. “Dos nossos cinco formatos, vamos crescer em todos, mas com foco especial para atender à nova classe C”, afirmou. Além do comércio eletrônico, o grupo possui cinco tipos de lojas físicas: hipermercados, supermercados, Todo Dia (instalado em periferias e cidades pequenas), Maxxi (loja de atacado) e Sam”s Club (rede de clube de compras).
Demanda intensa. A percepção de que já há um esfriamento da economia, feita por alguns analistas de mercado por conta da inflação e de medidas restritivas ao crédito, também não é compactuada por Samaha. “Continuamos crescendo bastante e a demanda por aquisição de bens eletrônicos e bens duráveis continua sendo bastante intensa no País. Não há indício de desaceleração”, garantiu.
Para o executivo, o menor nível de desemprego no Brasil e condições melhores de vida e consumo são os responsáveis por esse quadro positivo. “Essa é a realidade das nossas lojas”, resumiu.
Ele não quis, no entanto, confrontar a posição de analistas de mercado e de outros setores que vislumbram um quadro não tão positivo para o consumo nos próximos meses. “Não sou acadêmico, entendo de comprar e vender mercadoria”, disse.
De qualquer forma, a ordem dentro do grupo é a de buscar eficiência e ampliar parcerias com fornecedores como uma forma de minimizar o repasse de preços. “A inflação é um tema discutido hoje em todos os fóruns e há pressões de várias origens”, afirmou, após reunião com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, ontem em Brasília.
Nos últimos cinco anos, os investimentos da rede somaram R$ 6 bilhões no País, com a inauguração de 177 lojas de diferentes portes. “Além disso, fizemos duas aquisições. O Walmart segue aberto a aquisições, mas não há novo negócio no front”, disse o executivo.

 

Expansão

  • R$ 1,6 bi

foi o plano de investimentos anunciado pelo Walmart no ano passado, para a abertura de 90 lojas no País. O plano, porém, acabou não se concretizando, segundo a empresa, por “fatores alheios”, como atrasos em construções

  • 561

lojas será o tamanho do Walmart se forem realmente erguidas as 80 unidades previstas no plano anunciado ontem. A empresa opera no Brasil com hipermercados e supermercados com a bandeira Walmart, além das bandeiras Todo Dia, Maxxi e Sam”s Club

(O Estado de São Paulo – 04/05/2011)

Deixe uma resposta