pão de açucar

Num ano fraco de aquisições, as redes de varejo precisam retomar o crescimento orgânico para entregar resultados em 2012. O Grupo Pão de Açúcar (GPA) acelerou o ritmo de aberturas neste ano, em relação a 2011, seguido pelo Walmart e Carrefour, nessa ordem. Esse número tem sido acompanhado mais de perto pelos analistas porque a expansão orgânica deve explicar o desempenho dos grupos varejistas em 2012.

O GPA Alimentar, que reúne a operação de supermercados, hipermercados e atacado, abriu 19 lojas de janeiro a junho, segundo anúncios oficiais de abertura informados ao mercado. Balanço semestral de 2011 mostra que esse número foi de apenas três lojas no mesmo intervalo do ano passado (as conversões superaram as aberturas). O comando da rede tem repetido, em contato com analistas, que 2012 precisa ser um ano de expansão da rede, após o grupo ter revisado prioridades e concentrado o investimento na revisão de formatos em 2011.

“Nós temos uma concorrência um pouco mais atenta neste ano do que estava no ano passado, e eu falo especialmente dos principais concorrentes”, disse José Roberto Tambasco, vice-presidente comercial do GPA, na última teleconferência com analistas da empresa. “Estamos olhando para outras capitais onde não estamos presentes. Para este ano, nos hipermercados, temos 4 lojas previstas e para o Pão de Açúcar, 7 lojas. Já no Extra Supermercado, teremos 8 lojas e no Minimercado, estimamos 50 novas lojas”. A empresa estima de 70 a 80 aberturas neste ano. Para atingir isso, o GPA precisará inaugurar 50 pontos na segunda metade do ano – cerca de 8 lojas por mês.

Terceira maior varejista de alimentos no país, o Walmart abriu 11 lojas no primeiro semestre de 2012, o mesmo número apurado em igual intervalo de 2011. Em 2012, foram abertas dez lojas da rede Todo Dia (supermercado de vizinhança com cerca de 500 metros quadrados) e uma unidade Hiper Bompreço, bandeira com operação no Nordeste. Foram abertas mais redes Todo Dia (que necessitam de menos investimentos do que hipermercados) neste ano do que em 2011, quando foram abertos sete Todo Dia.

Na rede americana, com 532 pontos no país, o crescimento orgânico precisa acontecer numa fase de transição da empresa no Brasil. Este é o segundo ano de implantação no país da nova política comercial da rede, o “preço baixo todo dia”, e a companhia ainda precisa avançar em 2012 no plano de integração de redes adquiridas anos atrás. O Walmart abriu 11 lojas no ano e projeto de 40 a 50 aberturas – faltam então, pelo menos 30 lojas.

Mais distante das outras duas concorrentes, o Carrefour não inaugurou nenhum hipermercado ou supermercado no país de janeiro a junho, mas a rede abriu 5 unidades do Atacadão no mesmo intervalo. O grupo somava 103 Carrefour Hipermercado ao final de junho e 41 Carrefour Bairro – mesmo número apurado ao fim de 2011. Com as 5 novas unidades de Atacadão, rede que pertence ao grupo francês desde 2007, a cadeia de “atacarejo” passou a somar 85 pontos – dezoito a menos que a soma total de hipermercados.

Analistas entendem que o desaquecimento econômico freou projetos de grande porte das redes em 2011, mas neste ano não dá para postergar planos. “O ambiente econômico não é dos melhores hoje e o mercado entende que ainda há incertezas em relação ao futuro dos grupos Pão de Açúcar, Carrefour e Walmart no país, cada um por razões diferentes. Às vezes, essas incertezas afetam os projetos”, diz Eugenio Foganholo, sócio da Mixxer Consultoria.

(Por Valor Econômico) varejo, núcleo de estudos do varejo, núcleo de estudos e negócios do varejo