A The Body Shop se uniu a uma comunidade produtora de plástico reciclado na Índia e lançou uma linha de embalagens feitas com o material. Fruto da parceria com a Plastics For Change, o projeto tem como objetivo tornar as embalagens da marca mais sustentáveis.

O programa Comércio Justo da empresa atua em 31 comunidades em 23 países pelo mundo na compra de 24 ingredientes e 25 acessórios para a elaboração dos produtos.

De acordo com a marca, o preço pago por essas matérias-primas permite que as comunidades se desenvolvam social e economicamente, dando perspectiva de futuro às famílias com histórico de marginalidade social.

Além disso, a plataforma cria transparência e responsabilidade através da cadeia de fornecimento para garantir que aqueles na base, os catadores, recebam um preço justo para o plástico que coletam.

Até 2030, segundo a empresa, a expectativa é de que todos os produtos da The Body Shop tenham embalagens feitas de plástico reciclado.

Projeto Consciente

As empresas irão trabalhar ao lado de parceiros locais, como a Hasiru Dala, organização não-governamental que luta pelos direitos dos catadores, e a Hasiru Dala Innovations, uma empresa social dedicada a criar oportunidades essenciais de emprego para catadores.

Lee Mann, gerente global de comércio comunitário da The Body Shop, ressalta os objetivos da parceria. “Como empresa, sempre tivemos a convicção de defender nossos princípios quando se trata de ajudar a capacitar pessoas, especialmente mulheres, que protegem nosso planeta. Nossa nova parceria não apenas ajudará os catadores de materiais recicláveis, mas também defenderá o plástico como um recurso valioso e renovável quando utilizado de maneira responsável”, aponta.

Cerca de 15% do plástico reciclado proveniente da comunidade indiana será utilizado nos frascos de 250 ml para produtos de cabelos.

“A reciclagem de plástico é uma importante fonte de renda para 1% da população urbana mais marginalizada do mundo e estamos incrivelmente entusiasmados por fazer parceria com a The Body Shop e outras organizações para ajudar esses grupos a obter os benefícios sociais e financeiros que eles merecem. Este é o primeiro programa mundial de coleta de plástico para reciclagem”, comenta Andrew Almack, CEO da Plastics for Change.

Problema

O uso maciço de plásticos se tornou uma questão emergencial, principalmente nos últimos dez anos. Segundo um estudo divulgado no Fórum Econômico Mundial de Davos, em 2016, os oceanos abrigarão mais plásticos do que peixes até 2050.

Segundo o documento elaborado pela fundação da navegadora MacArthur e da consultoria McKinsey, a proporção de toneladas de plástico por toneladas de peixes era de uma para cinco em 2014, será de uma para três em 2025 e vai ultrapassar uma para uma em 2050.

(Por Consumidor Moderno –Jade Gonçalves Castilho Leite) varejo, núcleo de varejo, retail lab, ESPM, Plástico, The Body Shop