Inadimplentes_1semestre

ais de 1,5 milhões de pessoas entraram na lista dos negativados até junho deste ano. O levantamento, feito pela SPC Brasil e a CNDL, aponta as altas taxas de desemprego do País como motivo para o crescimento das pessoas com o ‘nome sujo’.

Em junho, o IBGE divulgou que cerca de 13,8 milhões de brasileiros estavam desempregados até maio deste ano. O número é 20,4% maior do que o mesmo período do ano passado.

Estimam um total de 59,76 milhões de pessoas físicas com as contas atrasadas. A quantidade representa 39,6% da população com idade entre 18 e 95 anos no Brasil.

Perfil dos endividados

Os brasileiros entre 30 e 39 anos são os que mais figuram na lista dos devedores, marcando 17,2 milhões de negativados em junho. As pessoas entre 40 e 49 também apresentaram alta taxa de inadimplência (47,79% dos brasileiros com essa idade), seguido dos consumidores de 25 a 29 anos (46,58%).

A região Sudeste é a que concentra, em termos absolutos, o maior número de negativados com um total de 25,8 milhões de consumidores ou 39,45% da população adulta da região.

O Nordeste é a região que aparece em seguida, com 15,7 milhões de negativados, seguido do Sul com 7,9 milhões de inadimplentes. O Norte aparece em quarto na lista das regiões com 5,4 milhões de devedores e o Centro-Oeste, um total de 5 milhões de inadimplentes.

Melhorias

Apesar do cenário difícil, as organizações destacam que o indicador mostrou queda de 0,83% em junho deste ano em relação ao mesmo mês do ano anterior. Isso ocorre porque o indicador teve sucessivos recursos ao longo do ano passado.

“Assumindo que a economia e o consumo irão se recuperar de forma lenta e gradual, a estimativa deve permanecer ainda oscilando em torno dos 60 milhões de negativados ao longo dos próximos meses, sem mostrar um avanço expressivo”, explicou por nota Honório Pinheiro, presidente da CNDL.

(Por NoVarejo – Mariana Lima) varejo, núcleo de varejo, retail lab, ESPM