varejo-moda-mulher-smartphone-compras

Das sete atividades analisadas , apenas o setor de Tecidos, Vestuário e Calçados apresentou crescimento nas vendas em fevereiro, na relação com o mesmo mês de 2016.

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), as vendas cresceram 3,6% no período. Com esse crescimento, o segmento interrompeu uma trajetória de 26 meses consecutivos.

A taxa acumulada no primeiro bimestre do segmento deste ano foi de crescimento de 1,2% nas vendas. Nos últimos 12 meses, o setor acumulou uma queda de 9,2%.

Na mesma base comparativa, o varejo restrito apresentou recuo de 3,2%.

Preços atrativos

Segundo o IBGE, o resultado positivo do varejo de moda sofreu influência dos preços dos artigos de vestuário. Em 12 meses, os preços evoluíram 3%, contra 4,8% do índice geral de inflação.

Além disso, as promoções de queima de estoque do Verão também contribuíram para o aumento das vendas.

(Por NoVarejo – Camila Mendonça) varejo, núcleo de varejo, retail lab, ESPM